Total de visualizações de página

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Flávia, Marcos, Diego... E, estrelando no Céu... DANILO!!

Internei dia 30/05 às 8:00 de segunda-feira, acreditando que ficaria no hospital por 1 semana segundo o que me disse o médico, estava com o coração apertado por deixar o meu Diego chorando na escola, mas Deus foi maravilhoso mais uma vez e às 3 horas da manhã de segunda mesmo o Danilo resolveu sair de meu ventre, foi um trabalho de parto muito sofrido, uma dor que jamais pensei que alguém pudesse suportar, sabia que seria difícil, mas não imaginei que seria tanto, o bebê pequenino e morto não ajuda no trabalho de parto e o parto induzido é muito sofrido, mas graças a Deus foi rápido.
Danilo saiu, lindo, somente ele, sem placenta, sem líquido, sem sangue, arrumei o seu corpinho pois queria vê-lo, o enfermeiro não queria que eu o visse, mas ele era maravilhoso, pequenino cabia na palma de minha mão, ao arrumar a sua cabeça fiz um sorriso em seu rosto sem querer, era perfeitinho, saquinho, pipi, mancha roxa no bumbum, como a maioria dos bebês tem, olhos, boca, nariz, Mãos com os dedos compridos, tinha até sombrancelha, cabelo não, mas a cabeça e as orelhas, tudo perfeitinho, Ah que vontade de levá-lo pra casa! Em uma mãozinha havia 6 dedos e em um dos pés também e no outro pezinho também tinha uma má formação, mas eu não me importei com nada, ele era lindo, meu coração se encheu de alegria ao vê-lo, fiquei por muito tempo com ele ali pois o médico havia entrado em uma cirurgia naquele momento e o cordão umbilical nos unia e somente o médico poderia cortá-lo, fui para a sala de parto e ficamos ali sozinhos por alguns minutos esperando o médico chegar e fiquei ali admirando o meu bebê, tão frágil e senti uma imenso amor por aquele serzinho que sabia que não era mais meu e que não estava mais ali.
Quando o médico entrou disse que ele deveria ter mexido no Danilo primeiro, mas eu sou a mãe tenho todos os direitos desse mundo, e ele disse essas mães são todas birutas!!!
Cortou o cordão e colocou o meu Danilo em um vidro de palmito, ai que dor, queria tanto levá-lo pra casa daquele jeito mesmo, uma loucura, mas queria!
Meu coração se encheu de alegria por ter isto o meu pequeno, a imagem dele vai ficar na minha memória pra sempre, que bebê lindo!
O cheiro era o mesmo de quando o médico coloca o bebê perto da gente pra gente ver, nunca vou me esquecer do cheiro!
A imensa dor que senti das contrações saiu com o Danilo.
Pra ajudar depois o meu leite empedrou, caramba, falei pra Deus assim: Oh não cansou ainda? Chega de tanto sofrimento ainda vai empedrar o meu leite? Cara, que luta! É as minhas conversas com Deus agora estão bem diferentes, de mano pra mano mesmo! rsrsrsrs
Este primeiro semestre de minha vida foi uma novela se eu contar as pessoas acham que estou mentindo, roubo do carro com o Marcos e o Diego juntos, depois bati o carro na semana seguinte e depois esta gravidez tão triste.
Aprendi o que é sofrer num intensivão de 6 meses. E agora bem fortalecida e pedindo para Deus me deixar sã, retomo minha vida com alegria, cheia de trabalho e crianças na minha escola que amo tanto!
 Flávia Amorim



"...basta acreditar / Sou teu anjo aqui..."
(Anjos de Resgate)

6 comentários:

  1. Deus é quem nos dá força nesse momento tão dolorido, mas sei que nossos anjinhos estão muito felizes, vendo nós, mamãezinhas deles, voltando a viver novamente, pois eles só precisam nos ver bem, pois os irmãozinhos deles estão a caminho!!!
    Flavia, somos guerreiras, Deus tem o que há de melhor para todas nós!
    beijos, fique com Deus!

    ResponderExcluir
  2. Flavia,
    Nao tem como ler sua historia e nao comentar. Tambem tive meu anjinho Michael dia 26 de maio de 2011(bem pertinho de voce) exatamente quando completei 20 semanas de gravidez e ele ja nasceu "dormindo". Aqui nos Estados Unidos, quando algo assim acontece, eles dao (e apoiam) a opcao de terminar a gravidez. Eu e meu marido optamos com muita dor por terminar a gravidez, ja que de qualquer maneira nao poderia trazer nosso Michael pra casa. Sinto inveja (boa) da sua coragem. Gostaria de ter a mesma forca e coragem que voce teve de admirar seu anjinho nos ultimos minutos, mas nao consegui. Meu marido foi o unico que em meio de muitas lagrimas quis se despedir do nosso anjinho e o viu, tb disse que ele era lindo. Sou mae de duas criancas saudaveis e lindas (Sophia e Lucas) que nasceram de cesaria, e Michael me deu esse presente de poder sentir a dor de ter um parto normal, de sentir ele saindo de dentro de mim...levarei comigo pra sempre!
    Com certeza nosso anjinhos estao brilhando no ceu junto com muitos outros que tiveram uma breve passagem aqui na Terra. O curto tempo que eles passaram com a gente foi o melhor e mais gostoso dentro de nosso utero. Novos anjos aguardam a oportunidade de virem para perto de nos.
    Que Deus de forca pra todas nos! Super beijo
    Barbara

    ResponderExcluir
  3. Lorena, mãe de Samuel14 de junho de 2011 07:27

    Flávia, querida,
    Tem uma passagem bíblica que fala da paciência. Diz que quando a gente entrega a nossa vida a Deus temos que nos preparar para as provações.
    Nós somos provas vivas de que as provações acontecem com TUDO!
    Na minha gestação minha mãe quase morreu, descobriu um problema no coração e ficou entre a vida e a morte. Minha avó, que era minha luz, morreu 15 dias antes de eu descobrir a agenesia. Fora isso, tiveram os problemas materiais: bati o carro, fui "expulsa" da minha sociedade porque não estava me dedicando inteiramente...
    Minha gestação foi toda difícil! Tenho miomas enormes e fui internada com dor algumas vezes.
    Nada foi como eu sonhei. Hoje, sempre com um problema ou outro, eu pergunto a Deus: "Senhor, eu disse que nunca te abandonaria, mas está ficando difícil! Quando é que vai melhorar? O Senhor disse: vai, minha filha, sofre! Aprende! Eu estou me esforçando, mas pode ser que eu não aguente mais...".
    Muitas vezes eu disse: dessa vez eu não vou aguentar! Mas eu sempre aguentei. Sempre lembro-me da passagem bíblica: "prepara-se para as provações". Tenho que suportar.
    Muita gente fala que não acredita que eu possa estar tão bem. Hoje eu estou como sempre fui. Mais experiente, mas do mesmo jeitinho alegre.
    Uma vez meu ex chefe me disse, entre gargalhadas, que eu tinha um bom humor irritante! Acho que ainda sou assim.

    Que Deus continue nos dando forças.
    Bjo grande!

    ResponderExcluir
  4. Flávia, fomos escolhidas por Deus por sermos fortes.... acredito muito na frase " Deus jamais irá levá-lo onde a sua graça não possa protege-lo". Nossos filhos foram tão desejados, nos deram tanta felicidade e então aconteceu aquilo que ninguém acho que nem tinha ouvido falar ainda...E nossos filhos lutaram muito, e deixaram muita luz nessa breve passagem, o Victor ja estaria fazendo um ano no dia 07/07/2011, e eu estou querendo engravidar novamente e sei que Deus vai me abençoar...as vezes a gente pensa que não vai dar, mas temos que ser fortes por Deus e pelos nossos anjos...

    Que Deus te abençoe e a todas nós mamães de anjos
    Bjo

    ResponderExcluir
  5. Flávia, você é uma pessoa MUITO MUITO especial!! Que Deus possa continuar abençoando sua família, seu trabalho e seu anjinho, que hoje zela por vocês!
    Continue assim: "biruta"(rs), bem humorada sempre, forte, corajosa...uma pessoa linda, por dentro e por fora!
    Mesmo em uma situação tão, tão complicada, agradeço à Deus por poder te "conhecer" e dividir, compartilhar nossas angústias... Em breve, tenho CERTEZA que compartilharemos MUITAS E MUITAS alegrias! Com carinho, Carol

    ResponderExcluir
  6. Querida Flávia,
    Você é muito especial e como Nossa Senhora,transformou sua dor em lição de fé e força para todos nós. Seu depoimento é iluminado pelo amor sublime que só é proveniente de corações tão grandes como o teu. Sempre agradeço por ter, um dia, encontrado aquela esquina abençoada onde a Luiza foi muito feliz e amada e onde tive a hornra e a bewnção de conhecer você e toda família Recriança.
    Muitas bençãos em sua vida e um carinho enorme
    Célia Nicetto

    ResponderExcluir

Palavras de apoio, gotas de carinho. . .